Google e Facebook com caches alojadas no Data Center ITA

A ITA – Internet Technologies Angola em parceria com a AAI (Associação Angolana de Internet) activaram recentemente a cache do Facebook no Data Center da ITA. Mais um importante passo, adicionalmente à recente activação da cache Google feita pela ITA, no mesmo Data Center.

Em conformidade com o plano estratégico da parceria entre ITA e AAI, firmado com a activação do segundo nó de interligação dos provedores e servidores, designado Angola IXP instalado no Data Center da ITA, foram activados em fevereiro último a cache da Google e agora em Abril a cache do FacebooK.

Atrair para Angola as caches como as da Google e do Facebook, foi um processo em construção que iniciámos o ano passado com o Angola IXP, e que não termina por aqui. Confirmou Túlio Jacinto, Director Executivo de Operações da ITA. “O objectivo deste investimento é contribuir para a melhoria do ecossistema de internet em Angola e reduzir os custos de internet dos operadores, principalmente os associados da AAI. Ao alojar estas caches num Data Center como o nosso, que oferece especificações internacionais e excelentes condições de alojamento, segurança e conectividade, é um passo importante para a transformação e melhoria no ambiente de negócios digitais e da qualidade dos serviços de internet em Angola”.

Engenheiro Sílvio Almada, Presidente da AAI, reforça ao dizer que “estas caches agora activadas e em funcionamento no Data Center da ITA, trarão melhorias à qualidade de internet e melhor experiência para os utilizadores que usufruem dos serviços da Google e Facebook”.

O facto de ter estes serviços e conteúdos internacionais alojados no país, traz benefícios técnicos e económicos para a comunidade de telecomunicações em Angola. Estes passos são fundamentais para criar o dinamismo na conectividade, uma das premissas importantes para a transformação de Angola em HUB de Dados em Africa, reforçou Túlio Jacinto da ITA.

Este e outros contactos têm sido feitos pelos parceiros, com grandes produtores e agregadores de conteúdos a nível mundial, com vista a melhorar o ambiente tecnológico em Angola no que toca à distribuição de conteúdos digitais e permitindo que os operadores e fornecedores de conteúdos e serviços digitais beneficiem de uma rede de serviços de telecomunicações em Angola que poderá em breve beneficiar a região em África.

O ponto mais importante e diferenciador desta abordagem é o facto de estarmos a dar passos em conjunto, procurando alcançar os objectivos do todo, com benefícios finais para toda a comunidade de internet no País.

Partilhar